QUEM SOU EU

Minha foto
A FRATERNIDADE IMACULADA CONCEIÇÃO foi fundada em 29 de novembro de 2014.. Desde o final de 2009, reúne-se aos terceiros domingos, às 8:30h, na Paróquia Imaculada Conceição e São Sebastião, no Engenho de Dentro, à Rua Catulo Cearense, nº 26, Rio de Janeiro. Atualmente, somos 8 irmãos professos, 1 formanda, 2 simpatizantes, 2 amigos/visitantes. Temos como assistente espiritual Frei Aender, OFMCap. A Fraternidade Imaculada Conceição (em formação) promove, no primeiro domingo de cada mês, a venda do “Bolo de São Francisco”, cuja renda tornou-se uma pequena contribuição para as obras da Capela de Nossa Senhora da Paz, que está sendo construída na Comunidade Camarista Méier. Os membros da fraternidade participam da equipe de Liturgia na missa que é celebrada no local da construção da capela e de dos diversos serviços pastorais de suas paróquias.

Vídeos

Loading...

Peregrinação Roma / Assis

Peregrinação Roma / Assis
Peregrinação Roma / Assis - 2015 Informações www.qualitaturismo.com.br/italia-20- 29/07

Calendário - Maio - 2015

3/5 - Venda do Bolo de São Francisco
9/5 -Coroa Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora- 16 h
17/5 - Reunião geral - 8:30h.
31/5 - Coroação de Nossa Senhora- 8:30h.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Nossa vida fraterna em junho

     Nossa vida fraterna no mês de junho foi enriquecida pelo convívio, durante a venda do Bolo de São Francisco, em nossa reunião mensal e, de forma especial, pela visita de nossa irmã Zélia, da Fraternidade de São João de Meriti. 



     Além disso, tivemos a alegria de participar, pela primeira vez, da confecção do tapete para a Celebração de Corpus Christi, em nossa Paróquia.





quinta-feira, 23 de junho de 2011

CORPUS CHRISTI

Corpus 2011: O Pão da Vida

Na solenidade de Corpus Christi,
queremos recordar que os atos redentores de Cristo,
que culminam na sua morte e ressurreição,
atualizam-se na Eucaristia, celebrada pelo Povo de Deus
e presidida pelo ministro ordenado.
Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO.

Hoje queremos agradecer a Deus por este grande dom, que Cristo nos deu.
Ao redor do altar se constrói a comunidade cristã e a vida comunitária.
A Eucaristia é a síntese espiritual da Igreja,
a plenitude de comunhão do homem com Deus,
fonte dos valores eternos e experiência profunda do divino.
Participar da eucaristia dominical é sinal inequívoco
de identidade cristã e de pertença à Igreja.
Por isso, a Missa é o momento privilegiado que possibilita
o encontro com Deus a níveis de fé e de compromisso humano.

As leituras refletem o sentido da Eucaristia.

Na 1ª Leitura Moisés explica o sentido do MANÁ enviado por Deus
para alimentar o Povo no caminho do deserto.
"O Senhor te alimentou com o Maná, para te ensinar que não só de pão
vive o homem, mas tudo quanto sai da boca de Deus". (Dt 8,2-23.14b-16a)

* O maná é memorial da ação de Deus no passado e
   anuncio profético de um novo Pão,
   que Jesus prometeu aos homens: a sua Palavra e o seu Corpo.
   O amor de Deus provado no passado, é garantia para o presente e o futuro

Na 2ª Leitura, o apóstolo afirma que formamos em Cristo UM SÓ CORPO.
A Eucaristia não celebra só a nossa união com Deus e
a nossa identificação com Cristo; celebra também a união com os irmãos:
"O pão é um só, assim nós, embora muitos, somos um só corpo". (1Cor 10,16-17)

O Evangelho apresenta o final do Discurso do PÃO DA VIDA.
Eu sou o pão vivo, que desceu do céu.
Quem come desse pão viverá eternamente". (Jo 6,51-58)

Jesus fez um grande milagre: multiplicou os pães e os peixes,
para alimentar uma multidão de pessoas.
Jesus queria introduzir uma grande mensagem: "Ele dará um outro pão".
O pão do céu é a Palavra de Deus, a mensagem do Pai que Jesus veio trazer.
Esta palavra é para os homens verdadeiro pão da vida.

Mas para que essa Palavra se transforme em vida,
deve encarnar-se nas pessoas, deve tornar-se concreta, visível.
A encarnação perfeita dessa Palavra é Jesus.

- Quando nós comemos um pão material, ele é assimilado,
  se torna parte de nós mesmos, se transforma na nossa própria carne.
- Jesus diz que o Pão é ele mesmo.
  É a sua pessoa que deve ser comida, que deve ser assimilada.

Comungar o Corpo de Cristo significa:

ASSIMILAR a realidade humana de Cristo e
IDENTIFICAR-SE com ele no cumprimento da vontade do Pai.
Significa oferecer a nossa pessoa, para que ele possa continuar
a viver, a sofrer, a doar-se e a ressuscitar em nós.
Para que produza resultado, a Eucaristia deve ser recebida com fé,
isto é, com a disposição de se deixar transformar na pessoa de Jesus.

+ O sentido da Festa:

A Igreja reconhece neste sinal sacramental o próprio Jesus,
que continua presente, vivo e atuante em meio de nós.

"Reunido com os apóstolos na ultima ceia,
para que a memória da Cruz salvadora permanecesse para sempre,
Jesus se ofereceu a vós como Cordeiro sem mancha,
e foi recebido como sacrifício perfeito.
Pela comunhão neste admirável mistério, vós santificais os vossos fiéis,
para que a mesma fé ilumine e a mesma caridade reúna
todos os homens que habitam um só e mesmo universo.
Assim nos aproximamos com alegria da mesa de tão grande mistério,
para que impregnados da vossa graça nos transformemos ainda na terra
em cidadãos do vosso Reino". (Prefácio)

Na Quinta-Feira Santa a Igreja celebra a instituição da Eucaristia.
Mas na solenidade de Corpus Christi estão presentes outros fatores
que justificam sua existência no calendário litúrgico anual.
- É uma celebração mais festiva e alegre da Eucaristia (fora da semana santa).
- É uma manifestação pública de fé na Eucaristia.
  em que está presente o dado afetivo da devoção eucarística.
  Daí o costume de fazer a procissão pelas ruas da cidade.

O Sentido da Adoração:

Adorar quer dizer colocar-se diante do pão partido,
que nos torna presente a vida de Jesus, partido por amor aos homens e
ver como, onde, quando podemos realizar alguma coisa semelhante.

Só quando nos mantemos nesta disposição
de nos deixar transformar na pessoa de Jesus,
podemos realmente afirmar
que toda a nossa vida está iluminada pela Eucaristia.

                                            Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 23.06.2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Festa de Nossa Senhora da Paz

          Que alegria é celebrarmos mais uma vez a padroeira de nossa futura capela.

          No dia 09 (sábado), dia de Nossa Senhora da Paz, a procissão sairá às 16h da Rua Camarista Méier, nº 978, em direção ao local da futura igreja, na R. Dedo de Deus, nº 05. A missa em honra da Virgem acontecerá às 17h.Após a missa, barraquinhas com doces típicos de festas juninas animarão a noite.
          No dia seguinte, domingo (dia 10), a esperada Feijoada da Paz começa às 12h, no salão de festas da matriz paroquial, na Rua Catulo Cearense, 26.
          Convites antecipados: 12 Reais.
          Convites no dia: 15 Reais.
          Não deixe pra cima da hora.Divulgue e participe.

A devoção a Nossa Senhora da Paz

          A devoção a Nossa senhora da Paz nasceu na cidade de Toledo (Espanha), no século XI. Os mouros (árabes muçulmanos) invadiram a Espanha e tomaram nesta cidade um templo consagrado a Maria Santíssima, muito venerado pelos fiéis, transformando-o em mesquita e profanando-o. Quando os cristãos retomaram Toledo, a Igreja continuou sendo mesquita dos mouros, como parte de um acordo feito com o rei espanhol.
          A rainha e a população, indignadas, saíram pelas ruas vestidas de luto, em protesto.Correndo o risco se serem penalizadas por desobediência ao rei, pediram à Virgem que lhe abrandasse o coração. Os mouros, com medo de que a população se voltasse contra eles, suplicaram ao rei que perdoasse a rainha e o arcebispo. O soberano atendeu ao pedido.Uma grande procissão rendeu graças à Virgem por ter trazido a paz a Toledo, marcando o retorno da imagem para a igreja. Desde então passou a ser venerada como Nossa Senhora da Paz.
          A fim de perpetuar esta graça, foi instituída sua festa a 9 de julho.





A Imagem de Nossa Senhora da Paz

          Maria Santíssima está de pé com o Menino Deus no braço esquerdo. Ela segura com a mão direita um ramo de oliveira, símbolo da paz. Jesus tem na mão direira uma bola que representa o mundo e, na esquerda, outro ramo de oliveira.


Fonte: site da paróquia de Nossa Senhora da Paz, em Ipanema-RJ: http://www.nspaz.org.br

domingo, 19 de junho de 2011

Reflexão de 19/6/2011 - Projeto de vida Franciscano

PROJETO DE VIDA?

Há um momento da vida em que começamos a perguntar: O que eu vou ser?
É assim que começa um projeto de vida: se queremos vir a ser uma coisa que ainda não somos, estamos dispostos a enfrentar uma transformação. E toda transformação vai pedir tempo e dedicação.
Todo projeto é dinâmico: a gente tem que saber como é que se faz e tem que planejar como é que vai distribuir a atuação através do tempo.
As pessoas costumam fazer projetos para quase tudo que pretendem realizar, inclusive construir uma casa ou tirar férias. Quando a pergunta não é: O que eu quero fazer? mas: O que eu quero ser? a gente também fala em vocação.
Nesse caso a gente acredita que Deus ou o nosso ser interior estão nos chamando para realizar uma missão.
Foi pensando nisso que Clara de Assis escreveu no seu Testamento:

“Entre outros benefícios que temos recebido e ainda recebemos diariamente da generosidade do Pai de toda misericórdia, está a nossa vocação que, quanto maior e mais perfeita mais a Ele é devida... O Filho de Deus se fez para nós o caminho, que nosso bem-aventurado Pai Francisco, que o amou e seguiu de verdade, nos mostrou e ensinou por palavra e exemplo.”

Ela expressou o projeto de vida nessa forma de caminho e disse que o Caminho era Jesus Cristo. Francisco de Assis também dizia que o seu caminho era seguir os passos de Jesus Crucificado e Pobre.
De fato, Jesus já abriu os tempos definitivos: o cristão é alguém que está sempre construindo o futuro hoje. Ser cristão é estar no caminho final.
Os santos antigos muitas vezes falaram em seguir um caminho. Em nosso tempo, o psicólogo Carl G. Jung falou em um "Processo de Individuação", isto é, um caminho para a pessoa realizar o indivíduo único que só ela pode ser.
Foi por isso que São Boaventura escreveu um "Itinerário da mente a Deus".
Neste caderno, nós estamos falando em um projeto franciscano de vida. Pensamos em todas as pessoas que um dia disseram: Eu quero ser um franciscano, uma franciscana.
Procuramos apresentar, de maneira concreta e simples, os principais pontos da proposta franciscana. Assim os jovens que estão começando podem ver se o seu projeto combina com o de Francisco e Clara de Assis. Também os que já iniciaram a caminhada podem fazer uma revisão do que já conseguiram até agora. E mesmo os já adiantados poderão ver que sempre há novas perspectivas.
No final do Testamento, Clara disse:
E como é estreito o caminho e apertada a porta por onde se vai e se entra na vida, são poucos os que por aí passam e entram. E se há alguns que nele andam por um tempo, são pouquíssimos os que nele perseveram. Mas felizes são aqueles a quem for dado andar por ele e perseverar até o fim .
Tomemos cuidado, portanto, para que, se entramos pelo caminho do Senhor, de maneira alguma nos afastemos dele em algum tempo por nossa culpa e ignorância, para não ofendermos a tão grande Senhor, a sua Virgem Mãe, o nosso bem-aventurado pai Francisco, à Igreja triunfante e mesmo à militante.
Para Clara, viver sem projeto é uma ofensa a Deus e a todo o seu Povo.
Se você quiser manter o seu projeto franciscano de vida, faça o seguinte:

1. Ponha por escrito os seus sonhos de vida: materiais, espirituais, culturais, profissionais... tudo que você lembrar.
2. Reveja tudo isso à luz dos ideais de Francisco e Clara, que são principalmente seguir o caminho de Jesus Cristo, chegar à união com Deus, viver como irmãos com todas as criaturas... afinal, todos os grandes pontos que estão neste caderno.
3. Estabeleça objetivos concretos para você, nas circunstâncias em que você vive, com os recursos que você tem.
4. Marque algumas metas a curto prazo: o que é que você pretende fazer ainda neste ano...ou até neste mês.
5. Partilhe tudo isso com algum bom amigo ou boa amiga dispostos a ouvir com seriedade e espírito de colaboração.
6. Reveja todos os anos (ou mesmo com mais freqüência) todos esses seus planos. Peça a ajuda de seu amigo, amiga ou de outra pessoa que possa fazer isso.
7. Reze sempre tudo isso diante de Deus. Peça a iluminação dele. Agradeça por cada passo dado. Reconheça diante dele cada falha que acontecer. Pergunte a Ele como poderia aprofundar o seu projeto... e escute longamente no silêncio.

No fundo, só uma coisa importa: todos nós temos que ser pessoas plenamente realizadas, isto é, temos que ser um outro Jesus Cristo.
Santa Clara também tem uma proposta muito interessante para o acompanhamento do projeto: que a pessoa contemple todos os dias a si mesma no espelho de vida que é Jesus Cristo.
Olhando no espelho de Clara com os olhos do espírito, vemos exteriormente a imagem de Cristo que nós somos e vemos interiormente a semelhança de Cristo que nós somos. Nosso projeto é realizar plenamente essa imagem e essa semelhança. Quando formos semelhantes a ele, veremos a Deus face a face, diz São João.
Vamos apresentar o Projeto Franciscano de Vida em dez capítulos curtos e claros:

1.       Como Nossa Senhora - O ponto de chegada é a plena comunhão com Deus, com o próximo, com todas as criaturas.
2.       Deus é todo o Bem - Como é que Francisco e Clara viveram o mistério de Deus, e como é que nós podemos viver dele.
3.       E quem sou eu? - Descobrir sempre as grandezas e limitações de ser humano.
4.       Orar como Jesus e com ele - A oração é a expressão da comunhão. Orar com Jesus na comunhão da Trindade.
5.       Fazer a vontade do Pai - A Obediência franciscana é uma tremenda novidade. O Bem, que é Deus, tem que ser difundido.
6.       Sem nada de próprio - Seguir Jesus Cristo pobre é a condição do nosso caminho. Como não se apropriar das pessoas e das coisas.
7.       Deus me deu irmãos - A fraternidade, entre os irmãos e irmãs que Deus nos deu, mas também com todas as pessoas e com todas as criaturas.
8.       Livres para amar - Uma visão muito positiva da castidade: como viver o amor com uma liberdade cada vez maior.
9.       Restaura a minha Igreja - A missão que Jesus deu a Francisco em São Damião continua viva e importante.
10.   Viver como os apóstolos - O movimento franciscano nasceu no dia em que Francisco ouviu Jesus enviando os apóstolos.

Fonte: Texto “Projeto de vida?”, extraído do livro Projeto Franciscano de Vida, de Frei José Carlos Pedroso