QUEM SOU EU

Minha foto
A FRATERNIDADE IMACULADA CONCEIÇÃO foi fundada em 29 de novembro de 2014.. Desde o final de 2009, reúne-se aos terceiros domingos, às 8:30h, na Paróquia Imaculada Conceição e São Sebastião, no Engenho de Dentro, à Rua Catulo Cearense, nº 26, Rio de Janeiro. Atualmente, somos 8 irmãos professos, 1 formanda, 2 simpatizantes, 2 amigos/visitantes. Temos como assistente espiritual Frei Aender, OFMCap. A Fraternidade Imaculada Conceição (em formação) promove, no primeiro domingo de cada mês, a venda do “Bolo de São Francisco”, cuja renda tornou-se uma pequena contribuição para as obras da Capela de Nossa Senhora da Paz, que está sendo construída na Comunidade Camarista Méier. Os membros da fraternidade participam da equipe de Liturgia na missa que é celebrada no local da construção da capela e de dos diversos serviços pastorais de suas paróquias.

Vídeos

Loading...

Peregrinação Roma / Assis

Peregrinação Roma / Assis
Peregrinação Roma / Assis - 2015 Informações www.qualitaturismo.com.br/italia-20- 29/07

Calendário - Maio - 2015

3/5 - Venda do Bolo de São Francisco
9/5 -Coroa Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora- 16 h
17/5 - Reunião geral - 8:30h.
31/5 - Coroação de Nossa Senhora- 8:30h.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Nossa vida fraterna em maio - Missa na Comunidade Camarista Méier

          O terceiro sábado é dia da Celebração da Missa na Comunidade Camarista Méier, onde está sendo construída a Capela Nossa Senhora da Paz.
          A Missa foi celebrada por Padre Eli, acompanhado do seminarista Gabriel. Lá estavam, também, Marcos, Ivanilda e Maria Conceição. No canto, acompanhando nosso irmão Marcos (violão), estavam os cantores Antônio Rozante, Marcão e Suzi, membros do Ministério de Música A Capela (acapelaministeriodemusica.blogspot.com), que participam das celebrações na Capela das Irmãs Franciscanas Alcantarinas, no Méier. 
          Vendendo o Bolo de São Francisco e participando da Missa, desejamos contribuir para a construção e crescimento das atividades da Capela Nossa Senhora da Paz.


          

domingo, 22 de maio de 2011

Nossa vida fraterna em maio - Iniciação à formação franciscana

          A manhã de outono, do dia 15 de maio, foi uma manhã especial para nosso grupo de Espiritualidade Franciscana, pois marcou o início da Fraternidade, ainda em formação na Paróquia Imaculada Conceição e São Sebastião. Enfim, chegara o dia do Rito de Iniciação para o período de formação de nove simpatizantes. Começamos com a participação na missa das 8h30min.

    


          A Missa foi celebrada por nosso pároco Padre Leandro Cury, pelo Frade Provincial da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, da Província Nossa Senhora dos Anjos, Frei Jorge Luiz de Oliveira, pelo Diácono Permanente Iran, de nossa paróquia e pelo Frei Arles Dias de Jesus OFMCap, nosso Assistente Espiritual.


Frei Arles - leitura do Evangelho
Frei Jorge Luiz - Homilia


          
 


          Presente na cerimônia, o nosso querido irmão Hélio da Costa Gouvea, Ministro da Fraternidade Regional Sudeste II, da Ordem Franciscana Secular.
          Ao final da Missa, os nove candidatos foram apresentados, com entusiasmo e alegria, pelo Padre Leandro.


 


         
       
          Após a Missa, fomos para a sala de reunião, onde aconteceu o Rito de Iniciação, presidido por Frei Jorge e pelo irmão Hélio. O rito foi animado com a música de Tereza e seu "pupilo" Henrique.

Hélio da Costa Gouvea,
Ministro da Fraternidade Regional
Sudeste II,
da Ordem Franciscana Secular

Tereza e Henrique

                                                   

          Os iniciantes terão como formadoras as Irmãs Marita Silva Martinelli e Maria Conceição Messias, acompanhadas do Assistente Espiritual, Frei Arles.
São os iniciantes na formação:
1 -Ivanilda da Costa Vasconcellos

2-Marcos Cortinovis Carvalho
3-Yolanda da Silva Dias

4- Paula Cristina Silva Jardim
5- Fernando Pinho da Conceição

6- Jorge Ricardo Ferrito Mendes

7- Maria Alice França

8- Patricia Ellen de Aquino Oliveira
9-Silza Pinto dos Santos





          
"Altíssimo, onipotente, bom Senhor, a ti pertencem todo louvor, toda glória, toda honra e toda bênção”.





Nossa vida fraterna em maio - Bolo de São Francisco de Assis

          No primeiro domingo do mês, dia 1º de maio, mais uma vez, a venda do Bolo de São Francisco foi um sucesso!

          Foi um "bolo surpresa" e as doações de cada irmão e cada irmã, que trouxeram fatias de bolos de vários sabores e recheios, juntado à fundamental participação da paróquia. O resultado... mais uma colaboração para a construção da Capela Nossa Senhora da Paz, na Comunidade Camarista Méier. Veja as fotos!




segunda-feira, 16 de maio de 2011

Nossa vida fraterna em maio - Coral Pequenos Cantores de Francisco e Clara de Assis

Henrique, Tereza, Maria Vitória,
Thayná e Conceição
          Foi no domingo, dia 8 de maio de 2011, na missa das 10h, na paróquia Imaculada Conceição e São Sebastião, que o Coral Pequenos Cantores de Francisco e Clara de Assis se apresentou pela primeira vez. Sob a "batuta" de Maria Tereza da Conceição, os pequenos jovens Henrique, Maria Vitória e Thayná participaram da liturgia das crianças da catequese.



          Tamanha foi a alegria e a energia transmitida pelo coral que um grupo de jovens não se conteve, ao final da missa, cantaram com o coral, dançaram, fizeram coreografia e trenzinho.




          Com certeza, esse momento marcou o surgimento de mais um instrumento de evangelização, idealizado por Conceição e inspirado pelo Espírito Santo. Esses ingredientes tomaram forma nas mãos da Tereza, que conta, também, com a coragem e o talento das crianças que assumiram de coração essa missão.


quarta-feira, 4 de maio de 2011

Maria, Mãe de Jesus e Nossa Mãe

Uma homenagem às mães...

Maria e a Santíssima Trindade
A formação mariana nos leva a conhecer em profundidade Nossa Senhora, A ESCOLHIDA, desde toda eternidade, para ser a mãe de Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador dos homens, ontem, hoje e sempre. Mostra-nos claramente sua profunda relação com a Santíssima Trindade, sendo:

- filha predileta de Deus-Pai;
- mãe amorosa e carinhosa de Deus-Filho;
- esposa fiel de Deus-Espírito Santo.

Maria na Bíblia
Referente a ela, Deus afirma, após a queda no paraíso: “Porei inimizade entre ti, serpente infernal, e a mulher, entre tua descendência e a dela. Ela te esmagará a cabeça e tu tentarás feri-la no calcanhar” (Gn 3,15). É dela que Isaias profetizou: “Eis que uma virgem conceberá e dará a luz um filho e seu nome será Emanuel, isto é, Deus Conosco.” (Is 7,14). A ela o anjo Gabriel saudou: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo” (Lc 1,28). Foi ela que se colocou disponível para que o plano da salvação de Deus se realizasse: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim, segundo a tua palavra” (Lc 1,38). De serva do Senhor, se torna servidora da humanidade. A ela, Isabel chama de mãe de Deus: “Donde me vem a ventura de ser visitada pela mãe do meu Senhor?” (Jô, 2,3) e se afirma evangelizadora: “Façam tudo o que Ele vos disser” (Jô, 2,5). Ao pé da cruz, no Calvário, ela se torna nossa mãe: “Mulher, eis o teu filho.” “Filho, eis a tua mãe” (Jô 19, 26-27). Ela marca presença em meio aos seus na manhã de Pentecostes: “Todos, unânimes, perseveravam em oração com algumas mulheres, entre as quais, Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (At 1,14). E nós hoje a chamamos de ESTRELA DA NOVA EVANGELIZAÇÃO.

Mãe de Deus
            Aos 22 de junho de 431, o Concílio Éfeso definiu explicitamente a maternidade divina de Nossa Senhora. Ela é mãe de Deus (Theotokos). Jesus, Filho da Virgem Maria, é Filho de Deus. Afirma a unidade da pessoa de Jesus Cristo com dupla natureza:

            - Divina – igual a Deus-Pai e a Deus-Espírito-Santo;
            - Humana – gerada pela Virgem Maria, igual a nós homens, menos no pecado.

Virgindade Perpétua
            Conferindo as Escrituras e lendo os escritos dos Santos Padres, o Concílio de Latrão, no ano 649, preconizou, como verdade de fé, a Virgindade Perpétua  de Maria. O Papa Martinho I promulgou que Maria concebeu por obra e Graça do espírito Santo, permanecendo VIRGEM intacta antes, durante e após o parto.

Imaculada Conceição
            Em 8 de dezembro de 1854, o Papa Pio IX definiu, em sua bula “Ineffabilis Deus”, que Maria foi concebida sem pecado, na previsão dos méritos de Cristo Jesus, Salvador dos homens.

Assunção de Maria

            O papa Pio XII, em 1º de novembro de 1950, na Constituição Apostólica “Munificentissimus Deus”, afirmou que Maria, ao terminar o curso terreno de sua vida, foi levada de corpo e alma à glória celeste. A Assunção manifesta o destino do nosso corpo santificado pela graça.

Natal com Maria
            Maria, que viveu intensamente o Natal de Jesus, convida-nos e ensina-nos a viver um Natal Cristão. Ela, no cenário de Natal, mostra sua importância no contexto da obra redentora de Jesus. Sem Maria não temos Natal, nem entendemos o evangelho, nem se realiza a salvação da humanidade. Maria aceita a missão que Deus lhe confia, cumpre-a com coerência e assume com amor suas conseqüências. Acolhendo Jesus nos braços, expressa com eloqüência como assumir a missão de mãe do Salvador. Não estava em seus planos ser mãe, mas o “sim” consciente à proposta de Deus a fez mãe do Messias esperado, do Salvador dos homens. Concebendo por obra e graça do Espírito Santo e gerando a natureza humana de Jesus, ela ofereceu a Deus sua humanidade e acolhe a divindade, assumindo como seu, o Filho de Deus. Com o “Faça-se em mim, segundo a tua palavra”, Maria mostra que a vontade de Deus está acima da vontade humana. Aparece a plena sintonia de Maria com Jesus e seu evangelho. Antes de ser pregado por Jesus, o evangelho foi vivido por Maria. “Meu alimento é fazer a vontade do pai” (Jô 4, 34), iria dizer Jesus. Maria já antes o fizera. Com o “Eis a serva do Senhor” surge surpreendente a coincidência entre Maria e o Evangelho. Jesus insistia na difícil lição do serviço, pois os discípulos tinham enraizada a atitude de competição e ambição de poder. “quem quiser ser o primeiro e maior, seja o servo de todos” (Lc 22, 26), “O que os fiz, fazei-os uns aos outros” (Jô, 13, 14-15), “Não vim para ser servido, mas para servir” (MT 20, 28). Maria já era evangelho vivo do que Jesus iria ensinar.
Concluindo: Maria é exemplo prático de como viver o evangelho. Com Maria aprendermos a acolher Jesus e seu evangelho em nossa vida.

Maria, Mulher Eucarística
            João Paulo II, na “Ecclesia de Eucharistia”, afirma que a Igreja vive a eucaristia  e diz, no capítulo VI, que Maria Santíssima é “mulher eucarística”, pois foi o primeiro sacrário vivo do Filho de Deus, gerando-o por nove meses, no seu seio puríssimo. Foi ela que fez a primeira procissão do Filho de Deus, na sua visita a Santa Isabel. Ela consagrou seu Filho de Deus, no serviço do templo e o ofereceu a Deus no altar da cruz, no Calvário, pela redenção da humanidade. Após Pentecostes, confiada aos cuidados de São João apóstolo e evangelista, a Virgem Maria participava da “fração do pão”, comungando seu próprio filho, feito pão vivo na Eucaristia.

Aparições, Santuários, Títulos e Devoções
            A religiosidade dos fiéis em sua piedade filial para com a Mãe do Céu, invoca a intercessão de Nossa Senhora, sob os mais diversos títulos. Ela, sem dúvida, tudo isso merece, e muito mais ainda.
            As aparições e os santuários dedicados a Nossa Senhora se transforma em locais de peregrinações e de milagres. Bastaria lembrar Fátima (em Portugal), Aparecida (no Brasil), Lourdes (na França) e tantos outros, para comprovar a afluência de multidões na sua devoção e confiança na Mãe de Deus e nossa.
            Uma das maneiras mais simples para venerar Nossa Senhora e contemplar os mistérios de Cristo e a reza do terço (do rosário). Oração mariana, mas profundamente cristológica. O Papa João Paulo II, ao instituir o “ano do Rosário”, pediu a reza do terço, se possível, diária em família, pela paz do mundo e pela união e santificação das famílias.

Fonte: Revista Pegadas. Maio, 2011. Publicação da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.